Carne bovina in natura dos Estados Unidos de volta ao Brasil

6 de Agosto de 2017

As exportações de carne in natura dos Estados Unidos está de volta ao Brasil! Após um hiato de 13 anos, o primeiro carregamento de carne in natura dos Estados Unidos chegou ao Brasil, dando início a promissoras oportunidades de mercado de longo prazo para a indústria de carne bovina norte-americana. Em 2016, os EUA exportaram US$ 6,3 bilhões em carne bovina e produtos de carne bovina. Com o grande mercado brasileiro reaberto para os Estados Unidos, espera-se mais crescimento nas exportações.

O Brasil fechou seu mercado às importações de carne in natura dos Estados Unidos em 2003, devido a preocupações com a encefalopatia espongiforme bovina (BSE, na sigla em inglês). Desde então, o Serviço Exterior de Agricultura (FAS) do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar (FSIS) e o Serviço de Inspeção Sanitária e Fitossanitária de Animais e Plantas (APHIS) trabalharam continuamente com autoridades brasileiras para recuperar o acesso ao mercado. Após numerosas discussões técnicas e reuniões, o Brasil reabriu oficialmente o mercado em 1º de agosto de 2016, com base na classificação dos Estados Unidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) de país de risco negligenciável para a BSE.

A chegada do primeiro carregamento de carne fresca ao Brasil é o momento ideal para os exportadores dos Estados Unidos voltarem a se envolver em esforços de marketing no país. Atualmente, os principais fornecedores de carne bovina fresca/refrigerada para o Brasil são o Paraguai, o Uruguai e a Argentina, que se beneficiam da proximidade geográfica e do acesso livre de impostos propiciado pela união aduaneira do Mercosul. De 2014 a 2016, o Brasil importou anualmente em média US$296 milhões em carne fresca/congelada, ou 50.000 toneladas métricas. Apesar da concorrência dos membros do Mercosul e de um diferencial tarifário de 10% para os países fora da união aduaneira, os Estados Unidos estão em ótima posição para competir no mercado brasileiro, graças à sua capacidade de atingir consumidores de alto nível.

O Escritório de Promoção Comercial de Produtos Agroindustriais do FAS em São Paulo lançou recentemente a #USFoodExperience, campanha de promoção de mercado para promover alimentos e bebidas dos Estados Unidos, incluindo a carne bovina. O Brasil tem mais de 206 milhões de habitantes, com mais de 40% da população fazendo parte da classe média e 16 milhões de consumidores de alto nível. Apesar da crise econômica que o país atravessa, trata-se de um mercado promissor para produtos americanos de alto valor, como a carne. Os brasileiros estão familiarizados com a qualidade e a diversidade dos produtos alimentícios dos EUA e há uma demanda por cortes de alta qualidade de carne bovina tanto no setor de serviços alimentares como no consumo de alto nível.

Desde que o Brasil anunciou a reabertura de seu mercado para a carne in natura dos Estados Unidos, o USDA vem trabalhando com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento nos protocolos de segurança alimentar e no processo de aprovação de rótulos para empresas americanas que desejam exportar para o mercado brasileiro. Em dezembro de 2016, foi alcançado o acordo que atendia aos requisitos de aprovação de rotulagem de produtos para o Brasil. Visite a Biblioteca de Exportação do FSIS (FSIS Export Library) para obter informações atualizadas sobre todas as plantas americanas registradas e qualificadas para exportação para o Brasil, bem como instruções detalhadas para o envio de carne in natura e produtos de carne bovina dos Estados Unidos para o Brasil.

Fonte:FAS